A história do Vale do Paraíba é muito rica e importante, em alguns momentos se confunde com a história do Brasil. Desde antes a chegada dos portugueses o Vale do Paraíba é um importante caminho, ou caminhos, que fizeram com que a história do Vale do Paraíba, ema alguns momentos da história, se confundisse com a história do Brasil.
Os índios foram responsáveis por abrir os primeiros caminhos, vieram então os caminhos dos bandeirantes, dos tropeiros, no Ciclo do Ouro ou no Ciclo do Café.
No ciclo do ouro, o Vale do Paraíba é a principal via de escoamento dos minérios vindos de Minas Gerais, e se torna principal área de abastecimento das áreas de mineração com os mais variados produtos. Pois saiba que a comida mineira surge da comida valeparaibana, aprendi isso com um grande chef valeparaibano, Rafa Bocaina, de Silveiras.
No fim do século XVIII, já com o declínio do ouro em Minas Gerais, o Vale do Paraíba conhece um novo ciclo econômico, o ciclo do café. Neste período o café era o principal produto brasileiro e o Vale do Paraíba o principal produtor de café do Brasil. O café produzido no Vale era todo escoado pelo litoral, descendo a Serra do Mar, e foi assim até a construção da ferrovia D. Pedro II, que somente alcançou o Vale do Paraíba Paulista em 20 de julho de 1875.
Com a chegada da ferrovia, os caminhos antes usados pelos tropeiros, transportar comida, minérios, café, entre materiais, ficaram sem uso, esquecidos pelo tempo no meio da floresta atlântica na Serra do Mar, e três destes caminhos são hoje trabalhados pela ECOVALETUR, onde saindo do Vale do Paraíba, atravessam a Serra do Mar, em meio a floresta, até o litoral.

 

Trilha do Ouro (Caminho de Mambucaba)

Uma das caminhadas mais clássicas do país, esse roteiro é sem dúvida um mergulho na história e cultura da região do Vale do Paraíba. A Trilha do Ouro, um caminho de pedra feito pelos escravos em meio à floresta, faz parte dos caminhos daqueles que, em meados do séc. XVIII desviavam das rotas oficiais e se arriscavam pela mata para evitar a entrega de parte de seu ouro como pagamento de impostos à Coroa Portuguesa. O percurso que liga São José do Barreiro até Angra dos Reis, inicia no alto dos campos da Serra da Bocaina, na entrada do Parque Nacional da Bocaina e segue por meio da Mata Atlântica preservada das Serras da Bocaina e do Mar, até o bairro de Mambucaba, em Angra dos Reis. Esta expedição será feita em 3 dias, com média de 6 horas de caminhada por dia, com pernoite e alimentação em pousadas em casa de colonos. No caminho impressionantes cachoeiras, entre elas a Cachoeira dos Veados, uma gigante de 200 metros encravada em meio a floresta, na divisa SP/RJ, que também é a divisa Serra da Bocaina e Serra do Mar.

 

Caminho do Café

A história do Vale do Paraíba se confunde com a do Brasil em diversos momentos, mas talvez a principal delas seja o século XIX, quando o principal produto brasileiro era o café, e o principal produtor o Vale do Paraíba. Esta trilha histórica, também é conhecida como Estrada Nova da Serra, ligava os municípios de Cunha/SP e Paraty/RJ. Boa parte do percurso é pelo calçamento original de pedras, construído pelos escravos ainda no início do século XIX, com a finalidade de escoar esse café produzido no Vale do Paraíba, e se junta com o Caminho do Ouro (Estrada Real) após a serra.

 

Caminho dos Tropeiros

Trilha histórica, caminho utilizado pelos tropeiros por muito tempo para transportar produtos e animais entre o litoral e o Vale do Paraíba, esta trilha inicia em um bairro rural de Natividade da Serra e segue até Ubatuba em meio à floresta atlântica.
Trilha muito pouco conhecida e utilizada hoje em dia, o percurso é quase todo em mata fechada, terminando de subir a Serra do Mar, até o seu topo, tem um mirante do qual se pode avistar o mar de pouco mais de 1000 metros de altitude, depois é descer a face litorânea da serra, em parte com uma linda vista para o litoral, até chegar no pé da serra, sendo recebidos por rios de águas cristalinas para refrescar depois da aventura.

Artigos Recentes

Digite e aperte Enter para procurar